quinta-feira, 29 de maio de 2008

O começo

Muitas vezes me peguei pensando se eu ia ouvir quando as crianças chamassem à noite, porque elas dormiriam no quarto delas e eu no meu desde pequenas pra não ficarem mal acostumadas. Na primeira noite que eles vieram pro quarto, quando ainda estava no hospital, vi desabrochar o ‘tal’ instinto materno. É algo impressionante, que só sendo mãe pra saber como é. Quando fomos pra casa e os coloquei no quartinho deles (e isso foi logo na primeira noite) eu despertava com o mínimo de resmungo deles. Incrível, incrível. Bem, depois de algumas noites em claro cuidando deles e observando cada detalhe minuciosamente, me acostumei a ficar algumas horas acordada durante a noite. O começo foi difícil. Ainda mais porque eu sou/era acostumada a dormir 8h por dia, no mínimo. Minha cara estava péssima! Parecia um zumbi! E ainda tinha que me recuperar da cirurgia...Meu marido deu uma baita força. Deixava-me dormir e cuidava das crianças. Minha recuperação foi até rápida (segundo familiares) e logo estava me levantando melhor e mais disposta. A casa sempre esteve cheia. Era cunhada pra ajudar a dar banho, dinda babando nos afilhados, vó, vô e uma porção de tios babões. Era bom, mas chegou um momento que fiquei cansada de tanta gente. Ah, sem contar nas visitinhas! Queria mostrar meus filhotes pra todos, exibi-los, mas visita, ainda mais quando tu ainda não se acostumou com a nova vida, cansa!

Nenhum comentário: